PortuguêsEnglish

UFC tem três projetos aprovados em edital da FINEP e receberá R$ 495,2 mil para manutenção de equipamentos

14 de dezembro de 2020

A Universidade Federal do Ceará teve aprovadas três de suas quatro propostas submetidas ao edital SOS Equipamentos 2020, importante chamada pública nacional promovida pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Com isso, a UFC receberá R$ 495.277,00 para investir na manutençãode dois microscópios eletrônicos de varredura e de uma planta de produção de nitrogênio líquido, utilizados em pesquisas científicas da UFC e de outras instituições.

Entre todas as universidades brasileiras contempladas no edital, somente a UFC e as federais do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Rio Grande do Sul (UFRGS) chegaram a três projetos aprovados. No total, 38 projetos no Brasil serão beneficiados.

O objetivo do edital da FINEP foi selecionar propostas para concessão de financiamento para manutenção corretiva de equipamentos multiusuários de médio e de grande portes, cadastrados na Plataforma Nacional de Infraestrutura de Pesquisa do MCTI.

As propostas da UFC foram bem avaliadas considerando critérios como: laboratório onde o equipamento está instalado; relevância do equipamento para o desenvolvimento de pesquisas; nível de uso compartilhado do equipamento, ou seja, variedade de áreas e programas beneficiados, e número de estudantes e docentes atendidos; bem como qualificação da equipe científica envolvida.

“O resultado do edital é uma vitória que demonstra o nível de excelência dos nossos programas de pós-graduação e a qualidade das pesquisas desenvolvidas na nossa Instituição”, avaliou a coordenadora de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC, Profª Geanne Matos.

OS EQUIPAMENTOS ‒ Três equipamentos da UFC receberão manutenção corretiva a partir do financiamento da FINEP. Um deles é o microscópio eletrônico do Laboratório Multiusuário da Central Analítica da UFC, coordenado pelo Prof. Antonio Gomes Souza Filho (Departamento de Física).

“Esse microscópio de varredura é usado em muitas pesquisas, de várias áreas, porque ele tem o poder de revelar estruturas muito pequenas, que o microscópio óptico não enxerga, e de fazer análise química e composicional de materiais e substâncias”, explicou o Prof. Antonio Gomes.

Assim, da metalurgia à botânica, passando pela medicina, pela farmácia, pela odontologia e tantas outras áreas do conhecimento, elas ganharão mais um equipamento para o desenvolvimento de ensaios microscópicos. “Vai de A a Z. Tudo o que envolve produzir um material e analisar como esse material se apresenta no nível submicroscópico, na escala nano, é realizado neste microscópio”, explicou Gomes.

Outro equipamento que receberá manutenção corretiva é o microscópio de varredura a laser confocal multiusuário do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM) da UFC. A proposta foi assinada pela Profª Mariana Lima Vale, do Departamento de Fisiologia e Farmacologia.

O microscópio está inserido na Unidade Multiusuário do NPDM, podendo ser utilizado por pesquisadores de instituições públicas ou privadas cadastrados na plataforma. “O microscópio confocal faz imagens de alta resolução de materiais fluorescentes. Ele pode fazer tanto imagens de lâminas histológicas, como também de biomateriais, de parasitas, de culturas de células”, exemplificou, destacando ainda que o equipamento faz imagens em três dimensões (3D).

Também foi aprovado o projeto de manutenção corretiva da planta de produção de nitrogênio líquido do Laboratório de Criogenia da UFC, coordenado pelo Prof. Alejandro Pedro Ayala, do Departamento de Física. “Esta é a única planta de produção no estado do Ceará. A gente fornece nitrogênio líquido para toda a Universidade e para grupos de pesquisas de outras instituições que nos solicitam”, destacou.

De acordo com o Prof. Alejandro Ayala, o equipamento, capaz de comprimir o gás nitrogênio até transformá-lo em líquido, está funcionando e passará por uma manutenção programada e troca de peças desgastadas.

Fonte: Profª Geanne Matos, coordenadora de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação ‒ e-mail: gmatos@ufc.br