PortuguêsEnglish

Vitória para o Ceará: UFC vence edital nacional e terá Centro de Pesquisa Aplicada em Inteligência Artificial na área de saúde

7 de maio de 2021

A Universidade Federal do Ceará foi uma das seis instituições de pesquisa de todo o País selecionadas para a instalação de Centros de Pesquisa Aplicada (CPAs) em Inteligência Artificial. A proposta da UFC foi aprovada em seleção nacional conduzida por um consórcio formado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). O anúncio dos vencedores foi feito nessa terça-feira (4).

A proposta apresentada é intitulada Centro de Referência em Inteligência Artificial (CEREIA). O objetivo é desenvolver, entre outras coisas, projetos na área da saúde envolvendo internet das coisas, big data e transformação digital, entre outras áreas, voltadas para diagnóstico, prevenção e terapêutica de baixo custo. A UFC tem como parceiros na iniciativa três Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs): Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade de Fortaleza (UNIFOR).

Como parceiro privado, a Universidade terá a rede de saúde Hapvida, que também entrará com uma contrapartida do investimento feito pelos agentes públicos. Além disso, há ainda o suporte da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP). O CEREIA funcionará dentro do Centro de Referência em Inteligência Artificial (CRIA), já criado pela UFC.

VITÓRIA PARA O CEARÁ ‒ O reitor Cândido Albuquerque classifica o êxito no edital e a futura instalação de um equipamento de inteligência artificial voltado à saúde como “uma importante vitória da ciência do Ceará”. Segundo ele, “há muitos anos a UFC queria um projeto como esse”, por isso a conquista é tão importante, especialmente em um momento em que a Universidade passou a investir mais fortemente em pesquisas e desenvolvimento de inteligência artificial, reunindo vários grupos de pesquisa e criando uma estrutura específica relacionada à temática.

“O Centro emerge reunindo a excelência em pesquisa na área, a visão estratégica da atual administração sobre o papel da inovação, a aproximação crescente da UFC com empresas e gestão pública, em alinhamento com parceiros como a FUNCAP e entidades empresariais. A ênfase atual do Centro na saúde é uma demonstração inequívoca da posição da UFC em dar respostas à sociedade em um momento crítico como o que vivemos”, avalia o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC, Prof. Jorge Lira.

O pró-reitor-adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação, Prof. Rodrigo Porto ‒ que também integra o comitê diretor do CEREIA ‒, avalia que o Centro colocará o Ceará em um novo patamar econômico, industrial e de inovação. “O Estado poderá pegar essa onda mundial que é inteligência artificial, buscando aplicações que podem ter muito impacto sobre a qualidade de vida e a saúde das pessoas”, avalia.

Para Porto, a escolha da saúde como área de atuação é simbólica do momento em que estamos vivendo. “Toda essa inteligência da UFC será direcionada a pesquisas com aplicações tangíveis que, considerando a capilaridade da rede de atendimento do nosso parceiro privado, trarão impactos significativos para a saúde do povo cearense, em primeiro lugar, mas também com alcance nacional e internacional”, completa.

FINANCIAMENTO ‒ O edital prevê que o consórcio FAPESP/MCTI/CGI garantirá recursos da ordem de R$ 1 milhão por ano ao CEREIA ao longo de cinco anos, ao passo que a rede Hapvida fornecerá o mesmo valor e terá acesso aos produtos desenvolvidos. Ao final desse período, o financiamento poderá ser renovado por mais cinco anos. Como se trata de um projeto de grande porte, a expectativa é de que ele envolva pelo menos 50 pesquisadores de diferentes programas de pós-graduação.

Além da UFC, também foram aprovados centros de pesquisa (com foco nas áreas de saúde, agricultura, indústria e cidades inteligentes) nas seguintes instituições: Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), SENAI/CIMATEC (Bahia) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT ‒ São Paulo).

No total, 19 instituições participaram de uma rigorosa seleção que envolveu mais de 80 pareceristas da assessoria nacional e internacional da FAPESP entre outubro de 2020 e março deste ano.

O projeto será coordenado por um comitê executivo que terá como diretor o Prof. José Soares de Andrade Júnior, do Departamento de Física, e como vice-diretor Pedro de Alcântara dos Santos Neto, da Hapvida. Além deles, o comitê é composto ainda por três professores coordenadores, nas respectivas áreas: Jorge Soares (Pesquisa e Inovação); Rodrigo Porto (Transferência Tecnológica) e Maurício Benevides (Educação e Difusão de Conhecimento).

AÇÕES DE INOVAÇÃO ‒ O Centro fará parte de um conjunto de ações de fomento à pesquisa e à inovação que vem sendo realizado pela atual gestão da UFC. A iniciativa se somará aos esforços do atual Centro de Referência em Inteligência Artificial da UFC, que está sendo estruturado no Campus do Pici Prof. Prisco Bezerra. A mobilização para a criação do Centro teve início após uma viagem do reitor Cândido Albuquerque à China, na qual foram articulados possíveis convênios com o Colégio de Inteligência Artificial da Universidade de Nankai.

Também em 2020 foi criado o Condomínio de Empreendedorismo e Inovação, que vai reunir vários setores da Universidade, incluindo a sede do Parque Tecnológico, e servir de ponto de convergência entre a UFC e o setor produtivo. Além disso, a Instituição começou recentemente a colher os frutos de pesquisas aplicadas que geram inventos reconhecidos pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). Atualmente, a UFC já tem nove patentes conquistadas, a mais recente concedida em abril deste ano.

Fonte: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação ‒ e-mail: prposufc@ufc.br